aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

Posts tagueados ‘r. nova cidade’

mudanças

atelier5
Oito anos atrás, em Maio 2006 esta era a visão do meu estúdio na R. Nova Cidade, Vila Olímpia.

Retrato de momento de transição entre uma carreira de trinta anos nas artes plásticas e a nova atividade no Terceiro Setor, como Diretor Presidente da Fundação Stickel.

Três desenhos encostados em uma estante metálica branca são provavelmente os últimos trabalhos de alunos do meu curso de desenho de observação.
Iniciado em 1986, encerrei o curso neste ano por conta das novas exigências da Fundação.

Tudo muda.

Muitas das coisas nesta foto foram simplesmente descartadas, em um processo complexo e doloroso, porém necessário.

Este mesmo estúdio, após uma reforma, é hoje o escritório da Fundação Stickel.

E o meu trabalho nas artes renasce a partir de imagens contidas em um computador…

é isso, por fernando stickel [ 9:52 ]

vila olímpia se transforma

vl1
A Vila Olímpia continua a se modificar em ritmo frenético.
A Fundação Stickel está localizada na R. Nova Cidade, na sobreloja em cima da farmácia. Somos vizinhos deste novo edifício comercial em construção.
Em 2003 no terreno onde sobe este prédio havia um sobrado com lojas ao nível da rua, auto-escola, borracheiro, mini-mercado, papelaria, tudo pequeno, servindo aos moradores do bairro.

vl5
Na esquina da R. Quatá havia um daqueles enormes bares.

vl2
Com a verticalização os personagens curiosos vão sumindo, como o borracheiro que vivia com um charuto na boca, e jogava dominó à tarde na borracharia.

vl3
A fase dos bares point de encontro de motociclistas e danceterias que infernizou o bairro no início do Séc XXI também já ficou para trás… Agora os reis do pedaço são os restaurantes a quilo, atendendo no almoço a centenas de estudantes do Insper e Anhembi-Morumbi.

vl4
Este galpão era meu vizinho de muro, abrigava uma produtora de filmes publicitários. Coisas estranhas entravam e saiam de lá… A produtora saiu, uma discoteca infernal se instalou, e o mercado imobiliário ocupou… a memória da cidade se acabou…

vl6
O Google Maps traz uma imagem da R. Nova Cidade com o sobradão ainda de pé, mas já com algumas lojas fechadas atrás do tapume azul.

é isso, por fernando stickel [ 17:56 ]

miséria

miseria
A miséria humana e os malditos fios da Eletropaulo… na R. Nova Cidade, Vila Olímpia.

é isso, por fernando stickel [ 14:29 ]

os otários pagam

acidente
Recentemente um acidente ocorreu na Praça Doutor Júlio Conceição Neves, na esquina da Av. Helio Pellegrino com Av. Faria Lima, onde também tem início a R. Nova Cidade, na Vila Olímpia.

Não foi o primeiro acidente nesta esquina e certamente não será o último. Se os imbecis quiserem se matar bêbados nas madrugadas, não tenho nada contra, contanto que não destruam vidas além das próprias nem patrimônio alheio.

julio
Ocorre que a Prefeitura de São Paulo evidentemente não tem muito interesse em manter a pequena praça livre de sujeira, entulho e o poste quebrado pelo motorista maluco.
Evidentemente este mesmo motorista não será convidado a ressarcir os cofres públicos pelo prejuízo causado à cidade, que, como sempre, será pago por todos nós, os otários contribuintes da enorme carga de impostos municipais, estaduais e federais.

E assim o pobre país tropical, representado por uma pequena praça na cidade mais rica da América do Sul vai tropeçando em suas mazelas, sem força para sobrepujar séculos de descaso pela coisa pública. E os munícipes vão tropeçando na sujeira e no entulho, sonhando com o dia em que o motorista bêbado volte ao local do acidente com carrinho de mão, pá, vassoura e faça ele mesmo o conserto do estrago.

é isso, por fernando stickel [ 13:39 ]

vila olímpia

quatá
Até pouco tempo atrás esta loja fechada na R. Quatá, quase esquina com R. Nova Cidade, na Vila Olímpia, era uma oficina de usinagem, com torno, fresa, etc… Eu passava em frente e dava uma espiada nas máquinas, às vezes batia um papinho com o proprietário.
Pouco a pouco todos os estabelecimentos deste tipo estão sumindo do bairro, aparecem no lugar restaurantes a quilo, e outros, ou então os imóveis são vendidos em bloco para a especulação imobiliária.
O bairro muda muito, muito rápido.

é isso, por fernando stickel [ 13:14 ]

brasileiro odeia árvore

ar
Mais um capítulo da tragédia “BRASILEIRO ODEIA ÁRVORE”

A notícia é de ontem no Estadão: Prefeitura autoriza corte recorde de árvores para construção de condomínio de luxo.

1787 árvores irão para o lixo no Panamby (há promessas da construtora Bueno Netto de replantio, etc…)

É uma notícia grave em uma cidade sem verde como São Paulo. É notícia atual, mas não é novidade. A minha experiência de quase trinta anos circulando pelo bairro da Vila Olímpia mostra que o principal responsável pela destruição de árvores na cidade é a própria Prefeitura de São Paulo. Talvez em segundo lugar venham os motoristas…

Aqui no blog já tratei do assunto várias vezes, veja na série que intitulei “Brasileiro odeia árvore”
A cidade é vítima do corte indiscriminado, e eu como cidadão também sou vítima. Vejam só:

nova-cidade11
Até Outubro 2007 a R. Nova Cidade na Vila Olímpia contava com duas magníficas árvores no quarteirão entre a R. Quatá e a R. Casa do Ator, saudáveis e frondosas. Uma delas foi estúpidamente assassinada, pelo motivo mais fútil que se possa imaginar. A história do assassinato está aqui.

ar1

nova

No último dia 26 Abril a R. Nova Cidade se apresentava assim, com uma única árvore no quarteirão, imagem obtida no Google.

ar21
No mesmo dia, mais uma vez um caminhão da Prefeitura de São Paulo e sua equipe se dedicaram a podar a árvore, na minha ingenuidade achei que era apenas uma poda meio radical…
Qual nada, tratava-se apenas de mais um ASSASSINATO.
A Prefeitura aproveitou o feriado de 1 Maio e laboriosamente eliminou a árvore rente à calçada, como que a dizer aos cidadãos anestesiados: “Aqui nunca houve uma árvore saudável e frondosa.”
Pra disfarçar, plantaram uma árvorezinha miúda, com assinatura e tudo, eis o nome do criminoso: Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente, com a palavra o Secretário Ricardo Teixeira.

ar4

ar5
Pronto, Secretário!!! Parabéns!!!!!
Mais uma rua árida, menos uma casa para os passarinhos, menos uma sombra para os pobres paulistanos, mais alguns graus na temperatura e na poluição da cidade, mas em compensação a academia de jiu-jitsu ganhou mais uma vaga de estacionamento…

é isso, por fernando stickel [ 18:12 ]

na vila olímpia

muro2
Na R. Nova Cidade, Vila Olímpia.

é isso, por fernando stickel [ 11:40 ]

na vila olímpia

brahma
Na R. Nova Cidade, Vila Olímpia.

é isso, por fernando stickel [ 9:04 ]

bem-te-vi

bem2
Apesar de ter tido sua casa derrubada pela imbecilidade humana, o Bem-te-vi continua me alegrando, no meio da selva de pedra.

é isso, por fernando stickel [ 17:42 ]

nova sede fundação


Escritório novo, marca na porta, a Fundação Stickel agora atende em sua sede na R. Nova Cidade 193 – Vila Olímpia, São Paulo.

é isso, por fernando stickel [ 16:12 ]

novo escritório e o vizinho

esquina1
Visão lateral do novo escritório da Fundação Stickel, que fica atrás desta parede branca. A foto foi feita da R. Quatá.
Dizem que a obra em primeiro plano será de um prédio comercial na esquina da R. Quatá x R. Nova Cidade, na Vila Olímpia, projeto de Isay Weinfeld.
Por enquanto foram feitas as fundações, e tudo parou, parece que a construtora/incorporadora está tentando comprar CEPACs (Certificado de Potencial Adicional de Construção) para poder aumentar a área construida, enquanto isso desfrutamos de mais algum tempo em paz…

oposta
Na visão oposta, em primeiro plano o canteiro de obras, e em seguida a esquina da Av. Nova Faria Lima x Av. Helio Pellegrino

é isso, por fernando stickel [ 19:20 ]

novo escritório


Iniciando vida nova no novo escritório da Fundação Stickel na R. Nova Cidade.
A bagunça generalizada já foi superada, agora é arrumação rotineira. Estou meio cansado, meio gripado, mas na semana que vem saio para merecidas férias, este último ano não foi mole não!
Nas últimas semanas tivemos a mudança dos escritórios, finalização da incubação dos grupos de geração de renda, encerramento da parceria com a Paróquia São José Operário, auditoria, SICAP, preparação de reuniões de Conselho Curador e Fiscal, enfim, concluindo o processo de aprimoramento da governança e redução de custos que começou um ano atrás….ufa!!!!
A foto é do Phone Booth do Mac.

é isso, por fernando stickel [ 18:13 ]

mudança

mudanca
A Fundação Stickel mudou de endereço, agora estamos aqui:

Rua Nova Cidade 193 – Vila Olímpia
04547-070 São Paulo SP
Tel 11 3083-2811
Fax 11 3083-7571

Faltam ainda retoques, detalhes, o normal de uma mudança, mas o principal já foi, computadores e linha telefônica ligados, mesas e cadeiras no lugar.
Ao trabalho!
Meu antigo estúdio volta a funcionar, um pouco diferente…

é isso, por fernando stickel [ 15:50 ]

sandra pierzchalski arquiteta

mud1
Os escritórios da Fundação Stickel estão de mudança para a R. Nova Cidade 193 na Vila Olímpia.
Cheguei ao escritório hoje e a minha mesa já foi, meus arquivos, papéis, objetos, tudo já foi, sobrou uma mesa com o computador, algumas caixas de papelão, enfim, aquele saudável caos da mudança…


Em época de contenção de despesas o que era o meu estúdio se transformou, pelas mãos da arquiteta Sandra Pierzchalski, com a consultoria do nosso parceiro Sergio Athie da Athie/Wohnrath, nos novos escritórios da Fundação. A Sandra preparou o projeto, tocou a obra e está cuidando de todos os detalhes da mudança.?Iluminação e ar-condicionado já estavam prontos, e foram integralmente aproveitados, a reforma constituiu-se básicamente em criar duas salas fechadas, e reutilizar e racionalizar os móveis disponíveis, oriundos inclusive da desativação do nosso escritório na Paróquia São José Operário, por conta da conclusão da incubação dos grupos de geração de renda Brasilianas e Doces Talentos.

é isso, por fernando stickel [ 15:43 ]

sandra pierzchalski arquiteta

O que foi o meu estúdio na R. Nova Cidade, Vila Olímpia, transforma-se agora sob a batuta da arquiteta Sandra Pierzchalski nos novos escritórios da Fundação Stickel.

é isso, por fernando stickel [ 15:32 ]

novos escritórios

est7

Usei o timer da câmera neste auto-retrato feito hoje cedo no meu estúdio / Espaço Fundação Stickel na Rua Nova Cidade, nos últimos momentos da atual configuração arquitetônica.
Hoje mesmo começamos as arrumações e as obras de adaptação para que o espaço receba os escritórios da Fundação Stickel.

é isso, por fernando stickel [ 19:45 ]

a música das bolachas

Há algum tempo atrás (desconfio que sejam um ou dois anos) alguém mexeu no meu toca-discos Thorens, que me traz alegrias tocando “bolachas” desde os anos setenta, e quebrou a agulha.
Procurei a agulha sem sucesso, acabaram por me indicar um site na China, o qual não acessei por preguiça…
Finalmente, por uma enorme coincidência, o meu amigo Mario Sacconi descolou a agulha em uma loja na Rua Santa Ifigênia, e me presenteou a cápsula reformada com agulha nova.
Ontem, no meu estúdio, instalei a cápsula, tudo funcionou e voltei a ouvir minha coleção de LPs. O equipamento é uma mistura de equipamentos ingleses de cerca de 20 anos de idade, caixas EPOS, pré e power REGA e tuner e CD ROTEL, que se misturam bem com o Thorens quarentão…

é isso, por fernando stickel [ 9:14 ]

terceiro setor

apf
Fui convidado – e aceitei – ser o coordenador do Comitê Geral de organização do 5º Encontro Paulista de Fundações, promovido pela APF – Associação Paulista de Fundações, e que se realizará em Outubro 2010 aqui em São Paulo.
A foto acima mostra a reunião que realizamos no meu estúdio na quarta-feira passada das 14:00h às 17:00h, dos Comitês Geral e de Logística.
Ufa!
Pois é.
São coisas do Terceiro Setor que você e seus companheiros fazem, sempre de graça como voluntários, é claro, e mais dia menos dia você acaba por se perguntar:
-Por que?
Pois é.

Também me pergunto por que estou trabalhando de graça para a Fundação Stickel, como seu presidente, há exatos seis anos. Por que?
Estas perguntas não tem respostas simples.
A coisa começa aos poucos, e vai te pegando.
No meu caso, há exatos seis anos atrás eu não tinha idéia do que era o Terceiro Setor, e a bem da verdade tinha certa ojeriza deste negócio de “mexer com os pobres”.
Hoje, não apenas estou nele mergulhado até o pescoço como até um MBA fiz na área.
Mexer com isto tem a ver com milhares de coisas.
Tem a ver com o seu grau de conexão com o planeta (o único que temos…) e seus moradores, todos seres humanos exatamente iguais a você.
Tem a ver com o seu amadurecimento, hombridade, coragem, auto-respeito, responsabilidade, consciência, missão, destino, oportunidade, momento de vida, etc…
Tem a ver com justiça e retribuição.
E finalmente tem a ver com a sua vontade. Sem ela você não dura 24 horas no Terceiro Setor.

é isso, por fernando stickel [ 9:30 ]