aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

Posts tagueados ‘livro’

erico stickel doou ao ieb

ieb
Meus pais Erico e Martha Stickel doaram em 2002 parte importante da biblioteca que meu pai criou durante sua vida de bibliófilo e estudioso da iconografia brasileira.
A instituição escolhida para a doação foi o Instituto de Estudos Brasileiros da USP, o IEB, e a doação ocorreu dois anos antes do falecimento do meu pai, em 25/12/2004.

é isso, por fernando stickel [ 8:37 ]

rua dos franceses

franceses livros
Na casa da Rua dos Franceses, onde minha mãe, eu e meus irmãos nasceram.

é isso, por fernando stickel [ 17:47 ]

salvador candia

salvador candia 1
Encontrei na internet o livro de 2008 “Aproximações sobre a obra de Salvador Candia”, dissertação de mestrado na FAU-USP de Eduardo Rocha Ferroni. Folhear este livro é como revisitar meu passado… Os nomes, os projetos, as referências, toda a minha formação como arquiteto está lá. O Salvador foi o único mestre que tive na arte de projetar.
Ele também me inspirou a fumar charutos, muitos anos mais tarde…

salvador candia 2
A pág 71 registra minha colaboração no escritório, como estagiário e arquiteto recém formado, 1972-1974.

salvador candia 3
A pág 150 mostra o projeto que fiz para a fachada do Edifício Barão de Iguatemi.

é isso, por fernando stickel [ 21:28 ]

samuel e os oceanos

samuel
Trouxe de Londres para o meu neto Samuel, da livraria do Natural History Museum, um livro ilustrado sobre os oceanos.
Minha filha Fernanda me enviou o desenho que ele fez, encantado que ficou com o livro.
Samuel está com seis anos, no primeiro ano da escola, iniciando a alfabetização. Dá pra ver no desenho que ele já escreve o próprio nome.
Fiquei encantado com a resposta! Tenho dado sempre livros de presente para ele, que adora!

é isso, por fernando stickel [ 15:02 ]

doação contos e rimas

contos
A Secretaria Municipal de Educação de São Paulo recebeu na última sexta-feira, 5 de dezembro, 630 exemplares do livro “Contos e Rimas para Meninos e Meninas”, de Renata Cajado, com ilustrações de Lia Nasser, doados pela Fundação Stickel.

O livro foi editado pela Fundação Stickel, lançado na Casa das Rosas em 2006 e reune dez estórias divertidas sobre o universo infantil, que falam principalmente sobre amizade. Acompanha, ainda, um CD de músicas com letras de Renata Cajado e música de Adriana Ezabella.

A obra é dirigida para crianças de 4 a 10 anos e tem o propósito de desenvolver atividades em escolas, instituições infantis e grupos terapêuticos, por meio de exercícios com a língua portuguesa (rimas), resgate da arte de contar estória, estímulo ao canto (músicas) e à interpretação teatral.

Os livros, entregues diretamente à Secretaria, serão internamente distribuídos às Diretorias Regionais de Educação, para que depois sejam encaminhados às salas de leitura e bibliotecas dos Centros Unificados de Educação – CEUs.

Na foto, da esquerda para direita: Cristina Reis (Secretaria de Educação), Astrid Novelli (Secretaria de Educação), Fernando Stickel (Fundação Stickel), Patrícia Martins (Secretaria de Educação) e Fátima Bonifácio (Secretaria de Educação).

contos

é isso, por fernando stickel [ 7:40 ]

boneco de zauberplatz

z1
Fiz um boneco impresso em papel couche do meu fotolivro Zauberplatz. O resultado é fantástico, completamente diferente manusear a coisa pronta, sentir seu peso, folhear as páginas.

z2
A impressão ficou bastante fiel ao que se via na tela do computador, gostei!
Veja o livro aqui.

é isso, por fernando stickel [ 11:30 ]

zauberplatz, livro pronto!

Clicando aí em cima você abrirá o meu fotolivro (por enquanto apenas virtual) com o título ZAUBERPLATZ, resultado do curso “Ponto Convergente” que fiz no Madalena Centro de Estudos da Imagem.
O curso teve a duração de seis meses, com o objetivo de se construir um trabalho, neste processo interessantíssimo várias coisas ocorreram, além das aulas rotineiras às quintas-feiras, as mais significativas foram:

– A riquíssima biblioteca do Madalena CEI. Poder ter nas mãos publicações de altíssimo nível, do mundo inteiro, acompanhadas das explicações dos professores foi um privilégio.

– Para realizar a diagramação do livro aprendi em uma aula rápida com a Iris Di Ciommo (obrigado!) a mexer no programa de edição Indesign, herdeiro do Pagemaker que cheguei a dominar nos anos 90.

– Workshop de edição de imagens com Claudi, trabalho muito cansativo e indispensável, passei por várias versões do livro, recebendo comentários e sugestões dos meus colegas do curso e dos professores, principalmente do Claudi Carreras, Iatã Cannabrava e Claudia Jaguaribe.

– Workshop “Todo retrato é um autorretrato” com Marcio Scavone em seu estúdio.

– Participei com sucesso da Convocatória do Paraty em Foco, e enviei o Zauberplatz para o 5º CONCURSO FOTOLIBRO IBEROAMERICANO RM

– Palestras de vários fotógrafos e pessoas ligadas à arte e à fotografia, como Agnaldo Farias e Sofia Borges.

Ao final do curso, cuja última aula será daqui a pouco, fico com a sensação de que falta muito a aprender, por outro lado estou curtindo muito a satisfação de completar um projeto com começo, meio e fim.

é isso, por fernando stickel [ 16:05 ]

ex libris ejss

Acabo de ler a notícia de que foi publicado pela Imprensa Oficial o “Livro dos Ex-Libris”. Será que o do meu pai está lá?


Lá nos anos 70 criei um EX LIBRIS para o meu pai, identificando-o pelas iniciais de seu nome completo, Erico João Siriuba Stickel – EJSS
Imprimi em papel Vergé creme, uma novidade na época, e dei a ele de presente.
Ele o utilizou, marcando seus livros até falecer em 2004.

é isso, por fernando stickel [ 17:32 ]

livro eduardo longo

Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, Museu da Casa Brasileira, Fundação Stickel e Paralaxe Editora, convidam para o lançamento do livro

“Sobre bolas e outros projetos – Eduardo Longo arquiteto”

Sexta-feira, 8 Novembro às 19:30
Museu da Casa Brasileira
Av. Brig. Faria Lima 2705, São Paulo

convite eduardo1
ESPAÇO

– O espaço feito pelo homem, seu conceito, qualidade, funcionalidade e beleza.
– O preço e o valor do espaço, seu design e originalidade, sua capacidade de encantar e transmitir uma mensagem.
– O espaço depurado.

O espaço essencial.

Todas estas questões que estão – deveriam estar… – presentes na vida e na obra dos arquitetos se tornam particularmente significativas para Eduardo Longo, que se dedicou à busca do mínimo espaço essencial, pesquisa que instrumentou a construção da “Casa Bola” na Rua Amauri.
Bola essa que ajudei fisicamente a construir, conhecendo e admirando durante o breve período em que lá trabalhei.

– Liberdade de quebrar paradigmas;
– Coragem de se despir do supérfluo e de se utilizar como “cobaia’ para os experimentos de espaço mínimo;
– Destreza manual, pondo diariamente em prática pequenas invenções, necessárias à consecução da “Casa Bola”, espaço em que nada é padrão e tudo tem que ser criado, portas dobradiças, encanamentos, luminárias, tudo foi reinventado.
– Alto senso estético, capacidade de surpreender.

Tenho certeza de que todo este cabedal de conhecimento do arquiteto Eduardo Longo será partilhado com sucesso nas comunidades carentes em que a Fundação Stickel atua, pois o patrocínio que esta publicação recebeu se converterá, por meio do “Projeto Contrapartida”, em uma oficina de convivência orientada pelo arquiteto. Esta oficina será destinada aos moradores do entorno das Fábricas de Cultura, programa da Secretaria de Estado da Cultura do Governo de São Paulo, parceira da Fundação Stickel no desenvolvimento de suas atividades.

Fernando Stickel
Diretor Presidente
Fundação Stickel

livro el
O livro ficou lindo!!
Texto de Heitor Serapião
Fotos de José Moscardi, Leonardo Finotti e Luiz Calazans
Ilustrações de Neco Stickel, Vallandro Keating, Fuller Archives e Eduardo Longo

Agradecimentos a Bruno Guedes, Eduardo Longo, Fernando Stickel, George Longo e Thiago Calazans

é isso, por fernando stickel [ 17:22 ]

livro de german lorca

lorca22
Este amigo e fotógrafo fantástico, German Lorca, aos 91 anos de idade e vivacidade de pelo menos 30 anos a menos fez a gentileza de me presentear com seu lindo livro “A São Paulo de German Lorca”! (imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2013)
Obrigado, Lorca!!

é isso, por fernando stickel [ 21:02 ]

consulta com iatã cannabrava

iatas

Estive ontem no Madalena Centro de Estudos da Imagem, cujo folheto informativo esclarece:

“Uma experiência educativa através do pensar, vivenciar e olhar imagens. Um espaço para a formação e reflexão sobre o campo da fotografia, a discussão e desenvolvimento de ideias.”

Me encontrei com o fotógrafo Iatã Cannabrava para uma “leitura de portfolio”. É a segunda vez na minha carreira de artista plástico/fotógrafo que submeto meu trabalho à opinião de um expert. A primeira vez se deu quando eu morava em New York e conheci a curadora Alanna Heiss, mas esta história contarei em outra oportunidade.

A fotografia evoluiu muito e eu andava sem contato com a comunidade da fotografia, trabalhando sozinho, e acabei sentindo necessidade de uma atualização.

Levei para a entrevista as fotos originais do meu livro “Vila Olímpia”, o próprio livro e vários arquivos em pen-drive, inclusive as imagens da exposição “Fare Mondi”. A conversa foi ótima e acabou se estendendo, os assuntos se sucederam, pareciam não ter fim, minha sede de sabedoria só ficou maior…

é isso, por fernando stickel [ 9:07 ]

um olhar sobre a brasilândia

olhar20
A Fundação Stickel e a Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha convidam para a abertura da exposição de fotografias “Um Olhar sobre a Brasilândia 2012”, com fotos dos alunos do curso ministrado por Arnaldo Pappalardo e Lucas Cruz em 2012.

Abertura: 15 Junho às 12:30h
Fábrica de Cultura da Vila Nova Cachoeirinha
Rua Franklin do Amaral 1281

Exposição ficará aberta de 15 de junho a 16 de agosto 2013
Terça a sexta-feira, das 9 às 17h / Sábados e domingos, das 12h30 às 17h

olhar2012
O catálogo acaba de ficar pronto, ficou lindo!

Veja aqui a cronologia completa do curso, que se iniciou em 2009.

é isso, por fernando stickel [ 16:31 ]

sandra pierzchalski diplomou-se!

sandra foundation school peq
Sandra Pierzchalski recebeu hoje em Oxford, Inglaterra, o diploma do curso “Foundation School” promovido pelo IDIS e CAF.
A conselheira da Fundação Stickel voltará recheada de informações valiosas, tenho certeza, pois o mesmo aconteceu comigo no ano de 2011, quando participei do mesmo curso na cidade de Bertinoro, na itália.

ten
Aulas, pessoas interessantíssimas, livros, apostilas, visitas a instituições, uma montanha de informações valiosas!

é isso, por fernando stickel [ 15:51 ]

fare mondi

moemas-rothko

Em 20 Maio 2006 inaugurei na Pinacoteca do Estado de São Paulo exposição de fotos “Vila Olímpia”.
Diógenes Moura, curador de fotografia, e a equipe da Pinacoteca trabalharam impecávelmente na preparação e montagem, até convite impresso foi enviado pelo correio. A exposição foi um sucesso, assim como o lançamento simultâneo do livro “Vila Olímpia” editado pela Terceiro Nome.

Era uma época pré-Facebook.

Hoje muitas instituições abandonam os convites impressos em favor dos virtuais, consequência lógica do crescimento da web, sistema prático, simples e barato, que acaba por eliminar, porém, o “prazer analógico” de manusear uma peça gráfica de qualidade.

Em plena explosão das redes sociais, realizarei nova exposição das minhas fotos, trata-se da série inédita “Fare Mondi”. A vernissage será no dia 4 Junho próximo no Club Transatlântico. Não haverá convite impresso, e farei óbviamente uso de todos os meios eletrônicos disponíveis na divulgação da exposição. Já criei evento “Fare Mondi” no Facebook.

Pretendo reformar este blog e o meu site, e também criar uma conta no Twitter.

é isso, por fernando stickel [ 9:16 ]

public light/private light

mischa
Dona Glorinha, Antonio, Antonio Jr. e Roberto, 1998. Foto Kelly Kellerhoff

Em 1998, seis anos antes do início do meu trabalho de “ressurreição” da Fundação Stickel, alguém me procurou para pedir ajuda, tratava-se da finalização do catálogo da exposição “Private Light/Public Light” do artista representante alemão na 24ª Bienal de São Paulo, Mischa Kuball.
Marcamos um almoço no restaurante do MAM, e lá conheci o Mischa e a curadora da exposição, Karin Stempel.
Eu fiquei fascinado com a idéia da exposição, que era a seguinte: (descrição emprestada do site da Bienal)

“Dona Glorinha trabalha na Bienal há dezesseis anos, desde 1982. Ela conta que das bienais, as que ela mais gostou foram as do Paulo Herkenhoff e as da gestão do Edemar Cid Ferreira (22ª e 23ª).

Mas foi na 24ª Bienal, com a curadoria de Herkenhoff, que ela participou mais ativamente. Ela conta que o curador perguntou se ela aceitaria fazer uma foto na casa dela com sua família, numa permuta de lustres que fazia parte da projeto Public Light/Private Light, do artista alemão Mischa Kuball.
Durante a exposição, o lustre da sala da Dona Glorinha veio para o pavilhão e a sua sala ganhou um novo, como podemos ver na foto, que está na página 226 do catálogo Representações Nacionais da 24ª Bienal.

Ela comenta que a fotógrafa apareceu com um intérprete em sua casa, e ela, recém-chegada da feira, queria tirar o avental para a foto, mas a fotógrafa não deixou, falando que com o avental, sim, seria uma obra de arte. No final da Bienal, o lustre voltou para a sala dela e o outro ficou de presente.

E que não faltem lustres para a ilustre Dona Glorinha!”

As conversas evoluiram, e a Fundação Stickel apoiou a impressão do catálogo. Ao final da Bienal houve um leilão beneficente em que foram oferecidas as luminárias das residências que participaram do projeto, eu arrematei várias…

é isso, por fernando stickel [ 19:01 ]

sentimentos humanos

sentimentosh

O livro “sentimentos humanos: origem e sentidos” ficou pronto! Acaba de chegar da gráfica. É sempre uma sensação deliciosa pegar no objeto livro, sentir seu peso, seu volume, folhear as primeiras páginas.

Eis a introdução que escrevi:

Esta pequena obra-prima sobre os sentimentos humanos não estará completa (perdoem minha ousadia!) se não acrescentarmos mais um:

O impacto de uma mente brilhante: misto de paixão, curiosidade e ambição….

Cérebros privilegiados não se encontram em qualquer esquina… Eu tive o privilégio de conviver com gênios duas ou três vezes vida afora. A primeira experiência foi com o Professor Albrecht Tabor, no Colégio Visconde de Porto Seguro, e depois, lembro-me muito bem, nas aulas de português do Professor Flávio Di Giorgi, no colegial do Colégio Santa Cruz.

Chain-smoker, Flávio misturava em suas aulas poeira de giz com erudição e provocação, enquanto cinzas dos Lincoln sem filtro queimavam buracos em suas camisas brancas eternamente amarfanhadas.

O gênio, envolto em volutas de fumaça e totalmente alheio ao perigo de incêndio, continuava nos estimulando na busca pela excelência. Com inteligência e cultura enciclopédica declamava poemas, escrevia em grego na lousa, analisava as origens das palavras e respondia sobre todos os assuntos, ele era o máximo!

Colaborar com a edição deste livro, que presta merecida homenagem ao espírito genial do Professor Flávio é um enorme prazer. A obra se beneficia da combinação inteligente de estímulo à curiosidade com o prazer visual, seara perfeita para abertura de mentes e ampliação de universos.

Fernando Stickel
Fundação Stickel

é isso, por fernando stickel [ 18:14 ]

sentimentos humanos

sentimentos
“Sentimentos humanos: origem e sentidos”
 
Será lançado na próxima quarta-feira, dia 17 de Abril, a partir das 19 horas no teatro do Colégio Santa Cruz (Av. Arruda Botelho, 255, Alto de Pinheiros, São Paulo-SP), o livro “Sentimentos humanos: origem e sentidos”.

De autoria do do professor Flávio Di Giorgi, Beatriz Di Giorgi e Cristiano Di Giorgi, a obra apresenta um conjunto de 75 palavras que expressam as emoções humanas, tais como amor, ódio, desejo, preguiça, orgulho, indignação, coragem, vergonha, entre tantas outras presentes na vida e no cotidiano de todos.
 
Os verbetes estão distribuídos em 13 capítulos que configuram grupos temáticos, organizados de acordo com uma identidade comum. Sobre cada um deles se explicitará a etimologia, a definição e seus significados contemporâneos, evidenciando a relação particular e inédita que o professor Flávio Di Giorgi estabelece entre a etimologia e o significado de cada sentimento.

Em linguagem fluente, de fácil compreensão, os sentimentos são ilustrados por Alex Cerveny, Libero Malavoglia, Maria Eugênia e Vera Helena Ferreira, e por citações de textos poético-literários especialmente selecionados para a obra. 
 
O livro foi editado pela Fundação Stickel, com o patrocínio de Itaú Cultural e Morlan.

“Colaborar com a edição deste livro, que presta merecida homenagem ao espírito genial do Professor Flávio, é um enorme prazer. A obra se beneficia da combinação inteligente de estímulo à curiosidade com o prazer visual, seara perfeita para abertura de mentes e ampliação de universos”, revela Fernando Stickel, presidente da Fundação.

Durante o lançamento do livro, será realizada uma homenagem póstuma ao prof. Flávio, que dedicou sua vida e carreira às aulas de Literatura Latina e humanidades em geral em várias universidades e no Colégio Santa Cruz.
 

é isso, por fernando stickel [ 18:07 ]

better world books

huberts
Depois de muitos e muitos anos comprando livros na Amazon, a preços excelentes e entrega confiável, me vi órfão, por razões que eu ainda não entendi direito.
A Amazon internacional deixou de enviar livros ao Brasil, acho que é porque se instalou aqui para vender Kindle, ao menos é o que indica o site brasileiro.
Agora vejam o que é a civilização e o livre mercado. Civilização em um país civilizado, entenda-se… e livre mercado, entenda-se, livre!!
É o que ocorre nos E.U.A, aquele país do norte que acaba de iniciar um mega-acordo comercial com a União Européia.
Uma dica no Facebook me levou a um outro site de venda de livros, que resolvi testar, trata-se do Better World Books.
Me cadastrei e comprei um livro usado, por U$7,00. Sim, míseros SETE dólares, cerca de R$14,00, sem frete.
A descrição do estado do livro: “Used – Very Good” ou seja, “Usado – Muito bom”.
Passadas algumas semanas o livro chegou pelo correio, Hubert’s Freaks, escrito por Gregory Gibson, conta da descoberta e comercialização de fotos raras de Diane Arbus.
Capa dura, perfeito, estado de zero, não indica nenhum manuseio, limpo, cheiroso, impecável! Este mesmo livro custaria em qualquer livraria brasileira cerca de R$40,00.
Não sei há quanto tempo a Better World Books opera, o fato é que a Amazon não opera mais para o Brasi, mas tem alguém que opera, é o livre mercado se adaptando, descobrindo nichos.
Depois tem gente que não entende o pibinho de Dilma e Mantega…
Livre mercado, preços baixos, e impostos razoáveis, dá nisso: consumidores (eu) satisfeitos.

é isso, por fernando stickel [ 18:07 ]