aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

Posts tagueados ‘artes plásticas’

30 desenhos


30 DESENHOS

Um pouco antes de sua exposição individual de pinturas em Março de 1980 na Galeria Luisa Strina em São Paulo, Cassio Michalany acordou em um belo sábado ensolarado de Janeiro, pegou sua Caloi 10 branca e foi pedalando até a USP, onde nadou na piscina do COSEAS.

Voltou para sua casa-estúdio na R. Lourenço de Almeida na Vila Nova Conceição, pegou sua Brasilia verde e foi almoçar perto do Hospital São Paulo na Vila Mariana, onde traçou um bife a cavalo com dois ovos.

Voltou para casa, descansou um pouco, e foi até o Edgar Discos na R. Dep. Lacerda Franco em Pinheiros onde comprou um dos mais importantes discos de Stevie Wonder, “Songs in The Key of Life” o da capa vermelha, como uma rosa.

Voltou para casa, abriu as portas verdes do estúdio, pegou uma série de papéis pré cortados no tamanho 16 x 20cm, esponjas, e os potes de tinta acrílica que utilizou na execução das pinturas de sua exposição, colocou o Stevie Wonder para tocar, serviu-se de um uísque e começou a produzir desenhos.

Uma fortíssima chuva de verão desabou, e Cassio simplesmente a ignorou, intoxicado pelo calor de verão, focado no profundo prazer de fazer algo maravilhoso, intenso, o prazer de fazer ARTE!

A chuva parou, os desenhos estavam ali, no chão, exuberantes, prontos, relaxados. Cassio descontraiu-se, respirou fundo e foi até a Lanchonete da Pracinha, na Pça. Pereira Coutinho, comeu um sanduiche, deitou no banco da praça, olhou para o céu azul profundo, deu um tempo, voltou para casa e foi dormir satisfeito.

No dia seguinte logo cedo, domingo, observou os desenhos e adicionou com lápis e régua pequenos traços retos de grafite, que terminaram magistralmente a série de 30 DESENHOS.

é isso, por fernando stickel [ 11:46 ]

maia rosa & millan

dudi
Dudi Maia Rosa

marcelo2
Marcelo Maia Rosa na entrada da Galeria Millan, onde se realiza a exposição VRIDO de seu pai, Dudi Maia Rosa.
A exposição estará em cartaz até 11 Junho.

estudio dudi
Gilda Vogt Maia Rosa no estúdio do artista.

é isso, por fernando stickel [ 10:11 ]

dudi maia rosa na millan

dudimaia rosa
Faço minhas as palavras do meu amigo Dudi Maia Rosa:

“Sábado dia 14 de maio exposição na Galeria Millan. Será um prazer enorme ver os amigos e mesmo essas pessoas que nunca vimos mas que tanto gostamos. Todos convidados e estaremos de coração aberto para nos abraçar!”

Galeria Millan, 14 Maio 2016 das 12:00 às 16:00h R. Fradique Coutinho 1360 São Paulo

dudimaiarosa
O artista em seu atelier, hoje, 3/5/2016.

é isso, por fernando stickel [ 17:48 ]

cantatrice’s garage

cantatrice 1
Por circunstancias misteriosas chegou às minhas mãos imagens de um desenho de minha autoria de 1982.

Este trabalho participou da minha primeira exposição individual na Galeria Paulo Figueiredo, em 5 Abril 1983. A galeria que não existe mais ficava na R. Dr. Mello Alves 717, casa1 em São Paulo.

A preparação desta exposição foi um esforço muito interessante. Eu queria fazer tudo direito, tinha aprendido com mestres poderosos, tinha visto como eles faziam, então procurei fazer tudo igual.

Um dos itens necessários era a etiqueta de identificação do trabalho, colada no verso da moldura. Desenhei-a a partir de uma bolacha de chopp alemã que havia ganhado de uma amiga, e mandei imprimir em uma empresa de adesivos. O conceito que quis transmitir com a imagem do cervejeiro é de “TRABALHO COM PRAZER”.

Aprendi também que deveria registrar os trabalhos realizados, para tanto mandei fazer um carimbo e utilizei um antigo caderno de registros contabeis herdado do meu pai.

Iniciei o registro dos meus trabalhos simultaneamente aos preparativos da exposição, tanto assim que o número de registro deste desenho com título “Cantatrice’s Garage” é 45. Percebe-se que as traças se divertiram com o adesivo e o papel da etiqueta, mas as informações ficaram preservadas nestes 34 anos…

Achei interessante ver um registro da execução do trabalho preservado, a marca da tachinha com a qual prendi o papel à prancheta à direita da minha assinatura.

cantatrice2

é isso, por fernando stickel [ 15:25 ]

paulo pasta no anexo millan

pp1
A Galeria Millan inaugurou dia 12/11 sua segunda unidade em São Paulo, o Anexo Millan, com a exposição de Paulo Pasta, que apresentou além de seu conhecido trabalho abstrato, paisagens.

pp2
foto: divulgação BNPRESS MEDIA SP

Aieto Manetti Neto e eu, no Anexo Millan.

é isso, por fernando stickel [ 8:45 ]

boi – 50 anos carreira

convite boi15
Exposição comemorativa dos 50 anos de carreira do meu amigo José Carlos BOI Cezar Ferreira, no estúdio do Artur Lescher na Vila Leopoldina.
Venham! Próximo sábado 7 Novembro, das 16:00 às 20:00h

é isso, por fernando stickel [ 12:58 ]

boi em visconde de mauá

boi36
Visitamos o meu amigo José Carlos BOI Cezar Ferreira em Visconde de Mauá, onde ele está morando e trabalhando. Em Novembro ele exporá trabalhos novos em São Paulo, aguardem!

é isso, por fernando stickel [ 9:22 ]

fabio cardoso de almeida

Estive hoje visitando meu amigo artista plástico Fabio Cardoso de Almeida em seu novo endereço em São Paulo.
Ao chegar à sua casa/estúdio descubro que é a mesma em que trabalhei nos anos 70!

e4
Fabio em frente ao antigo escritório do arquiteto Ennes Silveira de Mello, os vidros “Blindex” foram retirados.

Veja post abaixo.

é isso, por fernando stickel [ 18:00 ]

livraria horizonte

horizonte

Horizonte2
Na segunda metade dos anos 70 (se bem me lembro…) o artista plástico Luis Paulo Baravelli montou seu estúdio na sobreloja de um sobrado comercial na R. João Cachoeira, altura do Nº 270, onde hoje existe uma agência do Santander.

Logo em seguida o editor Frederico Jayme Nasser abriu no mesmo prédio, no térreo, a sua Livraria Horizonte. Ali do lado havia também a CLICK Molduras, de Odila de Oliveira Lee, mulher de William Bowman Lee, pais de Wesley Duke Lee.

Naquela época, 1978, eu era sócio do Norberto (Lelé) Chamma na empresa de design gráfico “und” e fizemos o logotipo da livraria.

Algum tempo depois a livraria se mudou para a esquina da R. João Cachoeira com a Jesuino Arruda, e, se bem me lembro, o logotipo sofreu algumas modificações, fizemos alguns itens adicionais, como eiquetas, etc..

A livraria virou ponto de encontro dos amigos artistas, era uma farra!

é isso, por fernando stickel [ 18:26 ]

leandro spett

spett
Encontrei ontem nas manifestações na Av. Paulista meu ex-aluno de desenho Leandro Spett.
Ele foi provavelmente o aluno mais jovem que teve aulas comigo, iniciou com 13 anos, talentosíssimo, logo desenvolveu grandes habilidades na caricatura.
Hoje adicionou às suas habilidades o muralismo!
Fiquei orgulhoso por ele me chamar de Mestre!

é isso, por fernando stickel [ 9:01 ]

musée renoir

renoir1
C’est en 1908 que Renoir s’installe aux Collettes, magnifique propriété plantée d’oliviers et d’agrumes d’où l’on découvre un superbe panorama qui s’étend jusqu’au Cap d’Antibes.

Le climat lui convient, la lumière et le paysage le subjuguent, lui offrant la possibilité de reproduire en plein air sur la toile les couleurs chatoyantes des oliviers, des fleurs, des fruits de son domaine mais aussi les corps lumineux et sensuels de jeunes Cagnoises.

C’est aussi à Cagnes-sur-Mer qu’il aborde la sculpture pour la première fois.

N’ayant plus tout à fait le libre usage de ses mains, il fait appel à un jeune élève de Maillol, Richard Guino, qui sert avec intelligence et sensibilité ses besoins de sculpture.

Affaibli par la maladie, Renoir peint jusqu’à sa mort, avec bonheur et frénésie, faisant éclater sa joie de vivre sur les toiles.

Le Musée Renoir reste un merveilleux témoignage de l’univers créatif du Maître avec ses 14 toiles, ses sculptures, son mobilier d’époque, son atelier et ses objets familiers.

renoir2
A casa hoje, recém reformada em Cagnes-sur-Mer, França.

renoir3
Escultura no jardim.

renoir4
Um dos quartos.

é isso, por fernando stickel [ 18:40 ]

de chagall à malévitch

gr1
Sandra e gigantesca tela de Chagall

No Grimaldi Forum em Monaco visitamos a magnífica exposição “De Chagall à Malévitch, la Révolution des Avant-Gardes”

La grande exposition d’été 2015 du Grimaldi Forum, produite dans le cadre de l’Année de la Russie en Principauté de Monaco, est un des événements marquants de cette célébration.
Cette exposition réunit 150 œuvres majeures de grands créateurs qui composent le mouvement des avant-gardes en Russie. Entre 1905 et 1930, différents courants et écoles voient le jour, animés par l’énergie et la richesse de la création au début du XXe siècle : après l’impressionnisme, vient le temps du cubisme, futurisme, cubo-futurisme, rayonnisme, suprématisme, constructivisme…
Les artistes russes ont façonné une modernité sans précédent, se démarquant totalement de ce que l’on connaissait jusqu’alors, bouleversant des siècles de convention voire d’académisme.
Le caractère exceptionnel de l’exposition du Grimaldi Forum repose sur le prêt d’œuvres en provenance de Russie qui étaient jusqu’à présent figées dans les collections des galeries nationales ; ces prêts tout à fait remarquables viendront s’ajouter à ceux de différents grands musées européens.

gr3

gr2
Um dos detalhes da montagem impecável é a MyTouchGallery, “selfie” a partir das imagens das telas da exposição, que são projetadas e às quais você se junta, a foto é imediatamente postada no Facebook…

gr4
Do lado de fora, em temperaturas de 35 a 40 graus, o simpaticíssimo Cafe Pantone, onde você pode inclusive tomar uma “raspadinha”!!!!

é isso, por fernando stickel [ 18:04 ]

wesley na sp-arte

instw
Na galeria Ricardo Camargo, na sp-arte, o lançamento do Instituto Wesley Duke Lee destinado a estudar e preservar a obra do artista. A iniciativa é da sobrinha e herdeira do artista Patricia Lee e do marchand Ricardo Camargo.
Na imagem eu presto depoimento em vídeo sobre o Wesley. Amigos, artistas, pessoas que conheceram e conviveram com a fantástica figura colaboraram com o documentário dirigido por Olivier Perroy.
Entre outros colaboraram Carlos Fajardo, Augusto Livio Malzoni, Luisa Strina, Jeanete Musatti, Eduardo Lunardelli, Lu Rodrigues, Lydia Chamis, Quiroga, Ricardo Camargo, José Resende, Claudio Tozzi, Cacilda Teixeira da Costa, Kimi Esteve, Marcelo Cintra e o próprio Olivier Perroy.

Veja aqui mais detalhes sobre a gravação do documentário.

é isso, por fernando stickel [ 8:34 ]

inauguração sp-arte

sparte2
Auto retrato em frente a escultura de Anish Kapoor, na inauguração da sp-arte ontem na Bienal.
Carlo Gancia, Sandra Pierzchalski e eu.

é isso, por fernando stickel [ 17:21 ]

profissão difícil

escola brasil pintura
Fazendo pose de bacana.

Em 1970 frequentei a Escola Brasil: onde Baravelli, Fajardo, Nasser e Resende, discípulos de Wesley Duke Lee, propunham ensino não acadêmico da arte.

Os alunos eram encorajados a desenvolverem seus próprios projetos, e eu resolvi pintar uma tela de grandes dimensões. Aí estou na foto com 21 ou 22 anos de idade e a pintura que não saiu deste estágio, e se perdeu no tempo.

Não é mole ser artista, pintor, fotógrafo, etc… Lembro bem da sensação de olhar para a pintura inacabada e pensar: E agora?…

Nestas horas é bom perder a arrogancia, abaixar a crista e entender o quanto de trabalho e estudo envolve a conquista desta profissão.

é isso, por fernando stickel [ 18:06 ]

wesley duke lee

w
Cenário da gravação.

wesley entr
Na foto acima de Eduardo Lunardelli, do dia 31/1/205, estou sentado no sofá que foi de Wesley Duke Lee, ao lado de Carlos Fajardo e sou entrevistado por Olivier Perroy (de pé) sobre as minhas recordações do grande sábio, bruxo e artista Wesley.

A entrevista se deu em um ambiente onde foi recriada a casa/estúdio do Wesley na Av. João Dias em Santo Amaro, SP ocupada até a sua morte em 2010. Lá se encontram seus livros, objetos, móveis, pinturas, desenhos, gravuras, fotografias, “memorabilia”, instrumentos de trabalho, tintas, pincéis, lápis, maquetes, documentos, etc… etc… etc…

Patricia Lee, sobrinha do artista, sua herdeira e Ricardo Camargo, marchand, tiveram a louvável iniciativa de preservar a história do homem e sua obra, recriando o ambiente onde ele viveu e trabalhou.

wes heli
Em 1969 quando fui convidado por Frederico Nasser a conhecer o artista em seu estúdio, o cenário era este.

wesley w
Wesley Duke Lee (1931-2010)

Veja aqui mais fotos do evento.

é isso, por fernando stickel [ 17:10 ]

vera martins conclui pintura

ve2
O resultado ficou melhor que a encomenda!

A artista plástica Vera Martins, parceira da Fundação Stickel, foi convidada pelo arquiteto Marcelo Aflalo e Pierre Ruprecht, diretor do SP Leituras, para “chicotear” as paredes do café da Biblioteca Parque Villa-Lobos, utilisando técnica pictórica desenvolvida por ela.

O trabalho se iniciou em Dezembro de 2014, e ontem visitei a obra pronta, maravilhosa!

ve3

ve4

ve5
Vera acabou pintando também esta gigantesca tela!!

ve1

é isso, por fernando stickel [ 16:50 ]

weston / tarsila

edward-weston-nude-1936-1339475893_org
Edward Weston – Nude 1936 / Tarsila do Amaral – Abaporu 1928

é isso, por fernando stickel [ 21:28 ]