aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

Posts tagueados ‘arquitetura’

sonhei…

Sonhei que fazia parte um grupo de estudantes que iria à Faculdade de Arquitetura em Paris para uma palestra.
O grupo era uma mistura dos meus colegas da FAU-USP e do Colégio Santa Cruz.
Em um ônibus chegamos ao Campus, através de um imenso portão de ferro, que se abria sobre algo que tinha a cara da Park Avenue em New York, com as faculdades ocupando grandes prédios ao longo da avenida, e exuberantes jardins em seu centro.
Em uma longa caminhada chegamos ao prédio da Arquitetura, enorme, moderno, com muitas áreas verdes embutidas na parte de baixo de sua fachada.
Através de um pequeno elevador, muito apertado, entramos no prédio e chegamos a uma sala toda de madeira, paredes, teto e piso, onde tínhamos que sentar em uma carteira comprida para cerca de 24 pessoas 12 de cada lado. O processo para sentar era bem complicado, de encaixe, apertado. Na frente de cada lugar vários postais dos anos 40/50 com gravuras e caligrafias.
Nisto a imensa carteira começa a se movimentar e ganha enormes corredores, todos também de madeira, amplos, iluminados, muito bonitos.
Comecei a conversar em francês com uma moça vestida de short azul claro.
Percebi que em algum momento da viagem perdi minha mala cilíndrica listrada de branco e rosa…

é isso, por fernando stickel [ 13:18 ]

salvador candia

salvador candia 1
Encontrei na internet o livro de 2008 “Aproximações sobre a obra de Salvador Candia”, dissertação de mestrado na FAU-USP de Eduardo Rocha Ferroni. Folhear este livro é como revisitar meu passado… Os nomes, os projetos, as referências, toda a minha formação como arquiteto está lá. O Salvador foi o único mestre que tive na arte de projetar.
Ele também me inspirou a fumar charutos, muitos anos mais tarde…

salvador candia 2
A pág 71 registra minha colaboração no escritório, como estagiário e arquiteto recém formado, 1972-1974.

salvador candia 3
A pág 150 mostra o projeto que fiz para a fachada do Edifício Barão de Iguatemi.

é isso, por fernando stickel [ 21:28 ]

visão urbana idea zarvos

É curioso como se processa o reconhecimento de um olhar, o meu olhar sobre a cidade de São Paulo.

O meu olhar está aqui comigo, estou em São Paulo, sou paulistano com muito orgulho, faço parte da cidade. Observá-la e fotografá-la é para mim uma segunda natureza, como escovar os dentes.

Milhares de vezes meu olhar escolheu algo na cidade para ser registrado. Dificilmente passam-se na minha vida 24 horas sem que eu fotografe algo na cidade. Vejo macro e vejo micro, com foco e sem foco, de dia e de noite, de perto e de longe. No carro, a pé, no escritório, no clube, em casa, no Norte, no Sul, no alto, no chão, na riqueza e na pobreza, na sofisticação e na natureza.

Participar do concurso “Visão Urbana Idea Zarvos” teve o condão de estimular a revisão das minhas fotos da cidade, conectando o fio condutor que aglutinou este olhar. A instigante atividade de aplicar a hashtag #visaourbanaiz ao meu enorme acervo de fotos instrumentalizou o reconhecimento deste olhar. Incorporei-o conscientemente ao meu repertório, ampliando e potencializando seu alcance.

idea zarvos
Está rolando até 10 Maio uma ideia muito bacana da incorporadora Idea!Zarvos, um concurso de fotos da cidade para a cidade – Arquitetura / São Paulo / para quem / passa / vive /curte, veja aqui.

O concurso é organizado pela produtora cultural Estúdio Madalena e terá como juri Claudia Jaguaribe, Ekaterina Kholmogorova, Iatã Cannabrava, Mozart Mesquita e Nelson Kon.

Coloque a #VISAOURBANAIZ na sua foto no Instagram e concorra a prêmios, veja o Regulamento.

é isso, por fernando stickel [ 17:52 ]

sandra pierzchalski – arquiteta

sp
Minha patroa acaba de lançar seu site profissional: Sandra Pierzchalski • Arquitetura e Decoração

Esta auspiciosa estréia na internet faz justiça ao seu talento e dedicação como arquiteta, e me fez lembrar que quando começamos a namorar, muitos e muitos anos atrás, eu me considerava um bom cozinheiro, e impressionei a Sandra com alguns pratos.

Só que com o passar do tempo ela passou a cozinhar a maioria das vezes, seu prazer, habilidade, rapidez, limpeza e beleza de execução, superaram em muito a minha aptidão, digamos assim, tosca, para a cozinha…

O mesmo aconteceu com a arquitetura, eu achava que tinha alguma vocação, desenvolvida em inúmeras reformas, porém quando conheci o trabalho da Sandra me rendi à maestria de uma arquiteta de verdade.

Portanto, ao conhecer a Sandra, me obriguei a rasgar dois diplomas, o de cozinheiro e o de arquiteto, pois ela (graças a Deus!!!) me superou enormemente nas duas habilidades.

é isso, por fernando stickel [ 17:06 ]

ouro velho

ouro
Mais uma foto antiga encontrada! O endereço do Edifício Siriuba, R. São Francisco 71, escrito pelo meu pai nas costas da foto.
Em destaque a entrada do Restaurante Ouro Velho, com um recepcionista uniformizado.

ouro2
O luminoso, afixado na fachada do prédio.

ouvidor
Este prédio de seis andares e subsolo, sem garagem, foi construido pelo meu pai Erico Stickel no final dos anos 50, na esquina das ruas São Francisco e Ouvidor, no centro de São Paulo, com projeto arquitetonico de Oswaldo Bratke (1907-1997).
Aos sábados de manhã ele me convidava:
– Fernando, vamos ver o “predinho”?
E lá íamos nós ao centro da cidade visitar a obra, o momento culminante era andar no elevador de madeira da obra, eu devia ter 10 ou 11 anos de idade.
O prédio ficou pronto, meu pai se instalou no último andar, o restante do prédio era ocupado pelos escritórios da Argos Industrial do meu tio Ernesto George Diederichsen, cuja sala ficava no quinto andar.
Naquela época o centro da cidade era muito arrumado, ao ponto de meu pai exigir que eu colocasse terno e gravata “para ir ao centro”. Hoje está tudo degradado, sujo, uma tristeza…

ouro-velho
Projetado pelo arquiteto Jacob Ruchti (1917-1974), no subsolo do prédio, com entrada pela Rua do Ouvidor 52, ficava o sofisticado restaurante Ouro Velho, muito conhecido nos anos 60 e 70 pelos almoços de executivos, palco de “power-lunches” e happy-hour. Era pequeno, acolhedor e decorado em estilo colonial. Servia pratos clássicos como Chateaubriand e Camarão à Newburg.
As grandes ocasiões da família eram sempre comemoradas lá. O logotipo do restaurante tinha a letra “V” no lugar do “U”.

é isso, por fernando stickel [ 0:26 ]

ennes silveira de mello

e1

e2

e3
Cerca de 1974, recém formado, eu trabalhava no escritório do arquiteto Salvador Candia no centro de São Paulo.

Alguém me contou sobre o escritório do arquiteto Ennes Silveira de Mello no Morumbi, dando conta que era moderníssimo!

Eu fiquei curioso, achei um jeito de ir conhecer, cheguei no endereço no final da tarde pilotando minha BMW R60 ano 1969 preta, fui recebido por Edla, mulher do arquiteto, que me encaminhou ao escritório embaixo da piscina, com grandes portas de vidro “Blindex” abrindo para o jardim.

Conversei com o Ennes, pedi de sopetão uma vaga de trabalho, ele concordou e decidi mudar de trabalho.

De fato, a casa/escritório do Ennes era impactante para um recém formado em arquitetura, o máximo com suas enormes vigas de madeira laminada “Laminarco”, uma novidade na época, piscina quase dentro da casa, muito charmosa.

Na data combinada cheguei para começar a trabalhar, me foi indicada uma prancheta, ao fundo do espaço era o lavabo, bem enfiado no terreno em baixo da casa, construida em terreno com forte declive.

Ao usar o banheiro um forte cheiro de mofo me atacou, a umidade era alta. A toalha do banheiro cheirava mal, aguentei aquilo por uns dois ou três dias, e depois sumi dali!

Simplesmente fuji! Não conseguiria jamais explicar que uma toalha fedida me impedia de trabalhar em um escritório charmozérrimo.

Agora, quarenta e um anos depois, posso pedir desculpas ao Ennes por ter sumido sem avisar…

Certas memórias antigas precisam de um catalisador para aflorarem, vejam no post acima o fato que provocou a lembrança.

é isso, por fernando stickel [ 17:45 ]

bairro em mudança

racional
Nos anos 70 este pequeno prédio (colori de roxo para destacar) era o único da redondeza. Abrigava a sede da Racional Engenharia SA., onde eu trabalhava como Gerente de Planejamento.
O edificio Passarelli, de onde tirei a foto, não existia, assim como todos os outros grandes edifícios no entorno.

racional2
O “Idi Amin” prédio preto do Unibanco que se vê em segundo plano seria um dos primeiros grandes edifícios a serem construidos no bairro, na esquina da Marginal do Pinheiros com a Av. Rebouças. Ao fundo se vê a marginal e o Joquei Club.

é isso, por fernando stickel [ 18:55 ]

a casa

nois
Foto Arthur Vahia
É nóis na inauguração da A CASA museu do objeto brasileiro de Renata Mellão na Av. Pedroso de Morais 1234.

é isso, por fernando stickel [ 8:21 ]

aniversário sandra pierzchalski

drachalski
Hoje, 28 Agosto é o aniversário da excelente arquiteta, minha companheira, amor e doutora… Sandra Pierzchalski, que adora fazer uma brincadeira e é uma das pessoas mais alegres e bem humoradas que conheço, aqui ela personifica a Dra. Chalski, sempre pronta a curar!
Parabéns meu Amor!!!!

é isso, por fernando stickel [ 15:21 ]

eduardo longo no tendal da lapa

banner eduardo longo
O que você faz com o seu lixo reciclável? Quantas pessoas cabem em um ônibus? Qual é o cômodo mais importante de uma casa? 

Questões como estas serão debatidas na Oficina “Viver o Espaço com Eduardo Longo”, que a Fundação Stickel, em parceria com o Espaço Cultural Tendal da Lapa, oferece à comunidade a partir de agosto. Ministrada pelo visionário arquiteto Eduardo Longo, que nos anos 70 colocou abaixo sua casa e a transformou, literalmente, em uma bola, a oficina apresenta conceitos básicos da arquitetura, soluções criativas para o aproveitamento do espaço e confecção de maquetes e desenhos com material reciclável. 

Os encontros são destinados às pessoas que tenham disponibilidade de horário aos sábados, das 10h às 12h. A oficina ocorrerá no Tendal da Lapa, de 23 de agosto a 29 de novembro de 2014. Estão programadas visitas a equipamentos públicos e à casa do arquiteto, custeadas integralmente pela Fundação Stickel. 

As inscrições poderão ser feitas pelo site da Fundação Stickel ou presencialmente no Tendal da Lapa (Rua Constança, 72). Para mais informações, ligue: 3862-1837 ou 3083-2811. 

O que: Oficina “Viver o Espaço com Eduardo Longo”
Quando: De 23 de agosto a 29 de novembro de 2014
Horário: Todos os sábados, das 10h às 12h (horário estendido nos dias de visita externa)
Onde: Tendal da Lapa – Rua Constança 72
Inscrições: De 21 de julho a 16 de agosto pelo site da Fundação Stickel ou no próprio Tendal

é isso, por fernando stickel [ 15:00 ]

argos industrial na fenit

argos
No início dos anos 70 projetei o stand da Argos Industrial SA para a FENIT.
Particular sucesso fez o sofá modular coberto com lona crua no centro da foto, projetado especialmente era tão confortável que várias pessoas amigas levaram para casa!!
O logotipo da tecelagem, projeto de Alexandre Wollner, é um clássico do design gráfico brasileiro.

é isso, por fernando stickel [ 10:21 ]

arquiteta sandra pierzchalski

mattei 1
Minha mulher Sandra Pierzchalski acaba de entregar uma obra de reforma cujo resultado ficou simplesmente excelente!
Arquiteta competente, detalhista, sofisticada, Sandra persegue a perfeição com garra e perseverança, como se a casa entregue à cliente fosse dela mesma!
E tudo isso eu digo por experiência própria, eu mesmo já fui cliente da patroa. Cliente satisfeito, muito satisfeito!

mattei 2
Visão noturna da sala, no dia da mudança. Em breve faremos mais fotos, com a casa totalmente arrumada.

é isso, por fernando stickel [ 14:02 ]

serpentine sackler gallery

serpentine
Ontem, último dia da nossa rápida estadia em Londres, amanheceu glorioso domingo de sol, céu azul e temperatura de 5 graus.
Excelente cenário para passear em Kensington Gardens – Hyde Park.
Lá visitamos uma das mais recentes obras da arquiteta Zaha Hadid, a renovação da Serpentine Sackler Gallery, com o restaurante anexo ‘The Magazine Restaurant”, obra simplesmente impecável, maravilhosa!

é isso, por fernando stickel [ 17:45 ]

livro eduardo longo

Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, Museu da Casa Brasileira, Fundação Stickel e Paralaxe Editora, convidam para o lançamento do livro

“Sobre bolas e outros projetos – Eduardo Longo arquiteto”

Sexta-feira, 8 Novembro às 19:30
Museu da Casa Brasileira
Av. Brig. Faria Lima 2705, São Paulo

convite eduardo1
ESPAÇO

– O espaço feito pelo homem, seu conceito, qualidade, funcionalidade e beleza.
– O preço e o valor do espaço, seu design e originalidade, sua capacidade de encantar e transmitir uma mensagem.
– O espaço depurado.

O espaço essencial.

Todas estas questões que estão – deveriam estar… – presentes na vida e na obra dos arquitetos se tornam particularmente significativas para Eduardo Longo, que se dedicou à busca do mínimo espaço essencial, pesquisa que instrumentou a construção da “Casa Bola” na Rua Amauri.
Bola essa que ajudei fisicamente a construir, conhecendo e admirando durante o breve período em que lá trabalhei.

– Liberdade de quebrar paradigmas;
– Coragem de se despir do supérfluo e de se utilizar como “cobaia’ para os experimentos de espaço mínimo;
– Destreza manual, pondo diariamente em prática pequenas invenções, necessárias à consecução da “Casa Bola”, espaço em que nada é padrão e tudo tem que ser criado, portas dobradiças, encanamentos, luminárias, tudo foi reinventado.
– Alto senso estético, capacidade de surpreender.

Tenho certeza de que todo este cabedal de conhecimento do arquiteto Eduardo Longo será partilhado com sucesso nas comunidades carentes em que a Fundação Stickel atua, pois o patrocínio que esta publicação recebeu se converterá, por meio do “Projeto Contrapartida”, em uma oficina de convivência orientada pelo arquiteto. Esta oficina será destinada aos moradores do entorno das Fábricas de Cultura, programa da Secretaria de Estado da Cultura do Governo de São Paulo, parceira da Fundação Stickel no desenvolvimento de suas atividades.

Fernando Stickel
Diretor Presidente
Fundação Stickel

livro el
O livro ficou lindo!!
Texto de Heitor Serapião
Fotos de José Moscardi, Leonardo Finotti e Luiz Calazans
Ilustrações de Neco Stickel, Vallandro Keating, Fuller Archives e Eduardo Longo

Agradecimentos a Bruno Guedes, Eduardo Longo, Fernando Stickel, George Longo e Thiago Calazans

é isso, por fernando stickel [ 17:22 ]

fauusp 40 anos!

fauusp
Neste ano de 2013, a minha turma da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAUUSP completa 40 anos de formados!!

é isso, por fernando stickel [ 8:10 ]

arquiteta sandra pierzchalski

chalski
Homenagem à uma grande arquiteta, que por coincidência é a minha mulher, Sandra Pierzchalski.

hip
Sandra comemorando o final da obra!

hipica
Minha mulher Sandra Pierzchalski, arquiteta, conseguiu um feito notável.
Emplacou uma reforma completíssima no terraço da piscina da Sociedade Hípica Paulista, obra sem precedentes na SHP.
Graças ao apoio do presidente do clube Renato de Moraes Dantas Neto, e sua mulher Monica, uma situação de estagnação, inércia, falta de decisão e decadência foi revertida com um projeto magistral e uma obra rápida, barata e extremamente bem conduzida. Veja aqui as fotos de como era o terraço antes da obra, apenas 60 dias atrás.
Obras civis, estrutura metálica, iluminação, decoração, paisagismo, Sandra resolveu tudo com maestria, integrando o novo na arquitetura normanda da sede.

Os dados técnicos da obra:

Área total: 600m2
Custo obra civil: R$600.000
Decoração: R$175.000
CUSTO TOTAL R$775.000
R$/m2: R$1.290,00

Principais fornecedores:

Projeto: Arqª Sandra Pierzchalski (sem custo para a SHP)
Desenho: Arqª Vera Domschke (sem custo para a SHP)
Gerenciamento: Moraes Dantas Construções Ltda (sem custo para a SHP)
Topografia: A.C.S. Serviços Topográficos
Estrutura Metálica: Plasmont Estruturas Metálicas
Forro gesso: C4 Forros e Divisórias
Vidros: Vidroluz Com. de vidros
Pintura: IVA-9 Pinturas
Luminárias: Lumini Equipamentos de Iluminação
Ventiladores: Lustreco Com. de Iluminação e Decoração
Móveis: Armando Cerello
Tecidos: JRJ Ind. e Com. de Tecidos
Paisagismo: Maier & Alê Paisagismo
Colaboração especial: Dep. de Manutenção da SHP

hipica2
Visão do novo terraço no coquetel de inauguração dia 10 Outubro 2013.

hipp
Acho que a grande sabedoria da Sandra foi trazer o frescor da contemporaneidade à um clube de mais de um século de idade, lotado de tradição.

é isso, por fernando stickel [ 16:48 ]

sandra pierzchalski arquiteta

renato
A arquiteta Sandra Pierzchalski, minha mulher, e o presidente da Sociedade Hípica Paulista, Renato de Moraes Dantas Neto.

hipica pergula
A montagem da nova cobertura vai de vento em popa, executada pela Plasmont e supervisionada pela Sandra, que também coordena as obras civis, elétrica, paisagismo e decoração.

hipicasolda

Eu adoro o trabalho dos serralheiros, montadores e soldadores, que movimentam peças de meia-tonelada de peso, ou mais, para encaixes e posicionamento milimétricamente projetados.

é isso, por fernando stickel [ 17:29 ]

museu de arte do rio – mar

mar
A arquitetura do MAR.
Queria muito conhecer o MAR – Museu de Arte do Rio. Minha curiosidade tinha sido aguçada por documentário na TV onde os arquitetos Bernardes & Jacobsen explicam o partido arquitetônico e a obra. Neste fim de semana de intensas visitas artístico/culturais à maravilhosa cidade do Rio de Janeiro finalmente lá cheguei.

Cheguei e me encantei com a localização do complexo e com o partido arquitetônico. E me decepcionei, por algumas razões:

museu-arte-rio-1
– A linda cobertura ondulada precisaria ser um pouco maior, para cumprir eficientemente seu papel. Dá a sensação de “cobertor curto”, 15 a 20% maior em área acho que resolveria. Existe até um croquis no site ArcoWeb mostrando uma versão com a cobertura maior.

museu-arte-rio-3
– A rampa de acesso que desce do prédio novo ao prédio antigo está com muita cara de um apêndice de última hora. Cheira a corte de verbas, é ruim de caminhar e pobre no visual. Poderia ser um dos pontos altos do complexo. No site da ArcoWeb um croquis sugere a rampa em vidro, muito mais interessante.
– Os dois terraços deveriam ser interligados. (humilde opinião…)
– Faltam espaços de descanso na descida dos andares, que poderiam capitalizar no poderoso visual do porto.
– Detalhamento e execução da obra sofríveis.

Almoçamos no restaurante do museu, os banheiros já estão sem manutenção, no banheiro dos homens faltava água, olhando tudo, dá a sensação de corte de verbas, e opção por soluções de construção mais baratas. É uma pena.

imaginario
Do ponto de vista das exposições, o Museu de Arte do Rio – MAR não deixa a desejar, tudo muito bem feito e bem montado.
O ponto alto é a exposição “imagináRio” sobre a evolução da paisagem carioca, com curadoria de Paulo Herkenhoff.

é isso, por fernando stickel [ 9:42 ]