aqui no aqui tem coisa encontram-se
coisas, coisas, coisas...
...desde janeiro de 2003

photo london

photo london2

O salão Photo London foi criado em 2015. Sua segunda edição ocorre de 19 a 22/5/2016, acabei de visitá-lo no Somerset House em Londres. Muito grande, cheio de atrações, publicações, e com enorme diversidade na apresentação de fotos de diversas épocas e estilos.

Muito interessante constatar uma característica comum a eventos deste tipo mundo afora: Os frequentadores de exposições de arte, salões e bienais se encaixam sempre mais ou menos nos mesmos tipos:

– O barbudinho silencioso e mal vestido, zeloso de sua enorme importancia para o cenário da arte
– A mulher gostosa e bem vestida
– O colecionador rico e espalhafatoso, que adora ser bajulado pelo
– Marchand metido e adulador
– Os jovens curiosos e genuinamente interessados
– O cara que não tinha nada melhor pra fazer e resolveu dar uma passadinha
– O expert em boca livre
– O colecionador estudioso, discreto e elegante
– Senhoras gordas e suarentas vestidas de preto
– O marchand intelectual, que não se esforça o mínimo para agradar a seus clientes
– Chatos como eu, que ficam observando para criticar depois…
– Etc…

é isso, por fernando stickel [ 13:18 ]

É curioso como se processa o reconhecimento de um olhar, o meu olhar sobre a cidade de São Paulo.

O meu olhar está aqui comigo, estou em São Paulo, sou paulistano e faço parte da cidade. Observá-la e fotografá-la é para mim uma segunda natureza, como escovar os dentes.

Milhares de vezes meu olhar escolheu algo na cidade para ser registrado. Dificilmente passam-se na minha vida 24 horas sem que eu fotografe algo na cidade. Vejo macro e vejo micro, com foco e sem foco, de dia e de noite, de perto e de longe. No carro, a pé, no escritório, no clube, em casa, no Norte, no Sul, no alto, no chão, na riqueza e na pobreza, na sofisticação e na natureza.

Participar do concurso “Visão Urbana Idea Zarvos” teve o condão de estimular a revisão das minhas fotos da cidade, conectando o fio condutor que aglutinou este olhar. A instigante atividade de aplicar a hashtag #visaourbanaiz ao meu enorme acervo de fotos instrumentalizou o reconhecimento deste olhar. Incorporei-o conscientemente ao meu repertório, ampliando e potencializando seu alcance.

idea zarvos
Está rolando até 10 Maio uma ideia muito bacana da incorporadora Idea!Zarvos, um concurso de fotos da cidade para a cidade – Arquitetura / São Paulo / para quem / passa / vive /curte, veja aqui.

O concurso é organizado pela produtora cultural Estúdio Madalena e terá como juri Claudia Jaguaribe, Ekaterina Kholmogorova, Iatã Cannabrava, Mozart Mesquita e Nelson Kon.

Coloque a #VISAOURBANAIZ na sua foto no Instagram e concorra a prêmios, veja o Regulamento.

é isso, por fernando stickel [ 17:52 ]

temer
Acordei com as buzinas e os rojões, imediatamente me dei conta da vitória do impeachment e sorri embrulhado nos cobertores.
Tentei continuar o soninho gostoso das 6:30h, mas a cabeça em polvorosa me jogou para fora da cama.
A internet me deu o número saboroso da votação vitoriosa no Senado Federal: 55 a favor, 22 contra.
Dilma está fora do governo, acabou-se o infame reino do PT, o Brasil está pronto para iniciar a reconstrução.
Muito trabalho pela frente, sabemos, mas o marco zero do fim do PT está dado, e isto não é pouca coisa. Respira-se novamente.

Boa sorte Michel Temer!!!

Eis aqui os senadores representantes da vanguarda do atraso que defenderam a permanência de Dilma no pudê:

Telmário Mota (PDT-RR)
Angela Portela (PT-RR)
Jorge Viana (PT-AC)
Fátima Bezerra (PT-RN)
Roberto Requião (PMDB-PR)
Randolfe Rodrigues (Rede-AP)
Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)
Regina Sousa (PT-PI)
Armando Monteiro (PTB-PE)
João Capiberibe (PSB-AP)
Lídice da Mata (PSB-BA)
Otto Alencar (PSD-BA)
Lindbergh Farias (PT-RJ)
Paulo Rocha (PT-PA)
Gleisi Hoffmann (PT-PR)
Paulo Paim (PT-RS)
Donizeti Nogueira (PT-TO)
José Pimentel (PT-CE)
Walter Pinheiro (Sem partido-BA)
Humberto Costa (PT-PE)
Elmano Férrer (PTB-PI)

Após ouvir o lamentável discurso de despedida, uma última observação sobre Dilma Roussef: Entrou como um poste, saiu como uma anta. Conseguiu o feito de ser a pior presidente da história do Brasil.

é isso, por fernando stickel [ 8:48 ]

Dois sonhos separados por cerca de uma semana:

Sonhei que caminhava com a Sandra em um campo coberto de grama bem alta, era final da tarde e nós procurávamos os trechos com a grama mais baixa para caminhar, subitamente encontramos um cupinzeiro enorme e falei para ela:
-Cuidado com as formigas, vamos sair daqui!
Retomamos a caminhada, a luz foi acabando e a tarde se transformou em noite, liguei a lanterna do meu celular e continuamos a caminhar em direção a uma cerca, seguindo a trilha, foi quando vi a pantera parada e nos olhando, bem no lugar onde deveriamos atravessar a cerca.
Não parei de caminhar e fui fazendo gestos ameaçadores com a lanterna na direção da pantera, ela se afastou e nós continuamos, sem medo…

Sonhei que conversava com meu pai sobre sua vontade de ir guiando um Aero Willys para Curitiba. Argumentei que seria melhor ele tomar um avião e mandar o carro de carreta, lá chegando ele usaria o carro.
Esta conversa se deu em uma casa no topo de uma rua muito íngreme e movimentada, em seguida peguei uma bicicleta velha com pneu balão, subi na bicicleta e vi que os pneus estavam murchos, pensei que os encheria no próximo posto e comecei a descer a ladeira, com os freios 100% aplicados.
Ainda assim ganhava velocidade, o trânsito era intenso e eu pensava como parar a bicicleta, aí enfiei os pés no chão e consegui parar…

é isso, por fernando stickel [ 11:07 ]

dudimaia rosa
Faço minhas as palavras do meu amigo Dudi Maia Rosa:

“Sábado dia 14 de maio exposição na Galeria Millan. Será um prazer enorme ver os amigos e mesmo essas pessoas que nunca vimos mas que tanto gostamos. Todos convidados e estaremos de coração aberto para nos abraçar!”

Galeria Millan, 14 Maio 2016 das 12:00 às 16:00h R. Fradique Coutinho 1360 São Paulo

dudimaiarosa
O artista em seu atelier, hoje, 3/5/2016.

é isso, por fernando stickel [ 17:48 ]

avaaz
Alguém que se assina Elza C. criou em 16/3/2016 um abaixo assinado no site AVAAZ com o título “Apoiamos Luiz Inácio Lula da Silva como Ministro Chefe da Casa Civil”

Comentei este fato na minha página do Facebook escrevendo: “Petista, além de tudo é burro…”

Uma AMIGA petista se sentiu diretamente atingida e se deu ao trabalho de me responder, também no Facebook, com uma longa carta… malandramente desconectada do fato gerador…

Ao ser criado, a meta do manifesto era de 600.000 assinaturas, a proponente mostrava seu nome completo (não gravei…) Hoje, dois dias depois, reduziram a meta para 100.000 assinaturas… e o nome completo da criadora foi substituido por um enigmatico Elza. C.

Por que será?

Desnecessário lembrar que neste meio tempo a “presidenta” Dilma o “ministro” Lula sofreram inúmeras e acachapantes derrotas no âmbito das instituições, no seu intento criminoso de resguardar o chefe da quadrilha em foro privilegiado.

O Brasil decente respira aliviado! A farsa não tem força para progredir, a decência vai vencendo o crime, pouco a pouco, com o suporte de milhões de brasileiros que foram, vão e irão às ruas até que a bandidagem do PT seja varrida do país.

Atualização: Passado mais de um mês da criação do abaixo assinado, até os petistas não acreditam mais no golpe de colocar Lula no ministério. No início eram várias assinaturas por minuto, agora… vejam na imagem as assinaturas recentes, de hora em hora… Não vai dar certo…

assinaturas recentes

#foradilma #foralula #forapt

é isso, por fernando stickel [ 17:20 ]

ian6
Enquanto isso meu neto Ian continua a crescer!!!!

é isso, por fernando stickel [ 16:38 ]

f s paulo
O jornalista Toni Sciarretta do caderno “Morar” do jornal Folha de São Paulo do último domingo, 17 Abril 2016, me entrevistou sobre a minha experência como morador da Vila Olímpia.
Conversamos também sobre a série de fotos que realizei no bairro em 2003-2005, que acabaram por gerar a exposição “Vila Olímpia” na Pinacoteca do Estado de São Paulo em 2006, com curadoria de Diógenes Moura, e lançamento simultâneo do livro “Vila Olímpia” pela Editora Terceiro Nome.
A minha foto na matéria é da Raquel Cunha.

ENTREVISTA FERNANDO STICKEL

Vila Olímpia foi dos inferninhos aos arranha-céus

Fotógrafo registrou detalhes do dia a dia do bairro em que vive desde 1986 e reuniu as imagens em livro e em mostra na Pinacoteca.

RAIO X
NOME Fernando Diederichsen Stickel

IDADE 67

FORMAÇÃO Arquitetura na FAU-USP

OCUPAÇÃO Presidente da Fundação Stickel de oficina de artes na periferia e autor do blog “aqui tem coisa”

Artista plástico, fotógrafo, blogueiro e agora executivo do terceiro setor, o arquiteto Fernando Stickel, 67, vive na Vila Olímpia há 30 anos, época em que o bairro ficava submerso nas águas do córrego Uberaba, onde hoje fica a avenida Hélio Pellegrino. Pelas lentes de Stickel e pelo bairro, retratado no blog “aqui tem coisa”, iniciado em 2003, passaram diferentes tribos: motoqueiros dos anos 1990, inferninhos “de quinta categoria” dos anos 2000 e agora executivos dos prédios espelhados e estudantes do Insper e da Anhembi Morumbi.
Stickel, que nos anos 1990 manteve um loft e ateliê de 2.000 m² até se render à especulação imobiliária local, chegou fotografar os prédios espelhados que surgiam na região, mas não gostou do resultado. Preferiu retratar detalhes de fachadas, tapumes de prédios em construção, portas e janelas do bairro. O trabalho motivou uma exposição na Pinacoteca e virou o livro “Vila Olímpia” em 2006 (ed. Terceiro Nome).
Leia trechos da entrevista feita na Fundação Stickel, instituição sem fins lucrativos que faz trabalhos na Vila Nova Cachoeirinha e na Vila Brasilândia (zona norte).

Folha – Como era a Vila Olímpia quando você chegou?
Fernando Stickel – Estou no bairro desde 1986. Construí um loft na rua Ribeirão Claro com a Fiandeiras –era meu estúdio e residência. A Vila Olímpia era um bairro pobre. A Hélio Pellegrino era um córrego imundo com uma favela. Quando chovia, a água subia mais de um metro.
O bairro inteiro tinha tecnologias diferentes para conviver com as enchentes: escadinha, rampa… Eu tinha um portão com gaxeta de borracha, que virava uma comporta para barrar a água.
Foi assim até que veio a obra que canalizou o córrego. Em seguida, saiu a nova Faria Lima. Aí o bairro explodiu.
E a sua história de fotógrafo?
Minha história de fotógrafo começa em 2003, quando montei o blog “aqui tem coisa”. Falava do meu filho, minha mulher, meu cachorro e do bairro. Ainda não tinha máquina digital. Comprei e saí fotografando como doido. Participava do Fotolog, um serviço de blog de fotografia que acabou de morrer. Fui formando uma visão das ruas do bairro que acabou gerando três anos depois a mostra na Pinacoteca e o livro.
A máquina fotográfica tem a mesma característica de um pincel –mas, no lugar de tinta e pincel, tem uma máquina. A visão é de artista plástico. Tanto que muitas pessoas falavam que era uma pintura.

O que as fotos mostram que não existe mais?
Tem tapume, fachada, janela, porta, portão; algumas coisas ainda lembro onde estão, outras foram embora há décadas. Era um bairro de casinhas, oficinas mecânicas, borracheiros, botequinhos, papelaria, mercadinho de bairro. O que era um barzinho de esquina, hoje virou um restaurante de quilo.
Esses bares da esquina da Quatá e Nova Cidade começaram na fase áurea dos motoqueiros. Aqui era “point” dos motoqueiros. Depois vieram os inferninhos. Eram boates de quinta categoria.

Onde estão esses moradores?
O borracheiro foi embora; não cabe mais aqui. O mercadinho foi comprado ou fechou. E assim tudo foi se modificando. Um dia vem o mercado imobiliário e toca a sua campainha. Ligavam todos os dias: eram corretores, incorporadores…
Não adianta lutar contra, então vamos fazer da melhor forma possível. Vendi o terreno para uma sinagoga, que ficou linda. Pelo menos, não foi um predião.

Os moradores da Vila Olímpia foram organizados e tiveram voz no desenvolvimento do bairro, como ocorreu no Itaim, onde a população ajudou a conservar o patrimônio histórico?
Sim. O cidadão, quando pode, se organiza e põe o dedo na ferida. Qual é o valor disso? Existe, mas o poder econômico é maior. Na minha visão, o poder público é totalmente omisso –não regulamenta, não fiscaliza e é vendido. O resultado é essa cidade completamente desestruturada e carente de infraestrutura.

Você tentou fotografar os prédios espelhados?
Quando comecei, achava que também iria fotografar os espelhados”¦ Tentei, mas não faz minha cabeça. Outros fotógrafos vão fazer mil vezes melhor, provavelmente não tiram a foto do detalhe como eu. Até porque esse tipo de detalhe está sumindo.

O que seria o detalhe dos prédios espelhados? A grama amendoim do paisagismo?
É tudo muito igual. Talvez você vá achar pessoas interessantes que passam na frente desses prédios.

Você tem nostalgia daquela Vila Olímpia?
Minha nostalgia não vai para dez anos atrás. Vai para o Guarujá dos anos 1950, onde eu cresci. Não tenho saudade do tempo dos botecos, era infernal! Demorava 45 minutos para andar dois quarteirões. Depois, assim como veio, também foi embora.
Hoje diria que é um bairro tranquilo. Faço tudo o que preciso a pé. Andei durante muito tempo de moto até que tive um acidente. Tentei andar de bicicleta, mas fui atropelado por um motoboy, ainda antes da ciclovia.
Almoço com os estudantes e executivos. Essa mistura é excelente. Vi na Vila Olímpia uma transformação não só de cidade mas também de vida. E acho ótimo que vá embora essa minha vizinha [aponta para o sobradinho em frente, com placa de “vende-se”], que mandou derrubar uma árvore linda porque sujava a casa dela. (TONI SCIARRETTA)

Veja aqui o artigo “Fotógrafo registra em livro detalhes do dia a dia do bairro em que vive desde 1986” on line.

EM TEMPO: Recebi esta mensagem, acompanhada da foto da pintura, muito interessante e simpática!
“Olá Fernando
Estava viajando e não vi seu email. Então, esse é o quadro que minha mãe pintou baseado na foto do seu livro “Vila Olímpia”. Ela tb pintou mais dois que devem estar com a família.
Vou procurar saber para te enviar tb. O nome dela é Therezinha Fontes, já faleceu há dois anos, dei pra ela o seu livro de presente justamente por causa das fotos.
Espero que vc goste do resultado.
Um abraço
Cristina Teresa Fontes”

pintora

é isso, por fernando stickel [ 14:31 ]

342
Se a (ainda) presidente Dilma tiver um mínimo de dignidade e bom senso, renunciará após a acachapante derrota de ontem, 367 x 146.

71,5% dos deputados federais se declararam a favor do impeachment. Será que a mensagem não está clara? Milhões de brasileiros nas ruas de todo o Brasil apoiam o impeachment, basta olhar! Além disso diversas pesquisas de opinião atestam o fato. Será que ela não entende que o país não a quer mais na presidência?

As instituições estão funcionando perfeitamente, todas as instancias judiciais foram testadas exaustivamente, a mensagem é claríssima: O processo de impeachment é legal (e necessário).

Com a renúncia o Brasil poderia recomeçar imediatamente. Se o processo for ao Senado, teremos a continuidade da sangria, do marasmo, da enrolação no mínimo até o final de 2016. Intolerável! O Brasil não aguenta mais tanta agonia!!!!

Faça o gesto, Dilma Vana Roussef, tenha a grandeza de renunciar, você merece, o Brasil merece, renuncie!! O brasil não precisa das ameaças dos seus cúmplices de não dar trégua, chega de espernear, está na hora de compreender e aceitar o final de um ciclo.

#foradilma #foralula #forapt

é isso, por fernando stickel [ 9:01 ]

op
Há um ano atrás, exatamente no dia 13/4/2015, operei meu ombro direito. O resultado foi excelente, um ano depois nem me lembro da cirurgia e dos meses de recuperação e fisioterapia. Obrigado Dr. Checchia e equipe!

é isso, por fernando stickel [ 9:49 ]

familia229d
Oportunidade única e rara de ver este blogueiro nú!
Sim, o guapo menino de costas sou eu, nos anos 50 em Campos do Jordão. As outras crianças são minha irmã Sylvia e meu primo Bernardo.

é isso, por fernando stickel [ 17:52 ]

familia229
Meus pais tinham um sítio no caminho da represa Billings, chamado “Sitio das Jabuticabeiras”.

Lá brinquei muito na infancia e adolescência, e este era um dos locais preferidos, os balanços.

Na minha memória eles eram imensos, inclusive por causa do declive do terreno, a altura parecia muito maior.

é isso, por fernando stickel [ 17:31 ]

jimmy&bolt
Jimmy & Bolt, logo cedo no Ibirapuera.

é isso, por fernando stickel [ 16:57 ]

174
Está decretado o fim da acomodação e da preguiça.

Todos os brasileiros, indivíduos, famílias, grupos de amigos, parceiros de trabalho, membros de confrarias religiosas e quetais que ainda tem a esperança de morar, trabalhar e progredir com paz e justiça no Brasil, tem a obrigação moral e cívica de participar das manifestações do próximo dia 17/4, apoiando a aprovação do impeachment.

Só a força das ruas para pressionar “SUAS EXCELÊNCIAS” a fazer a coisa certa. Isto cabe a mim, a você, a todos nós. Só assim, com Dilma, Lula e o PT fora do poder teremos chance de ver o país recuperar sua hombridade, sua honra, e deixaremos de ter vergonha de sermos brasileiros. Só assim vislumbraremos um país digno onde viverão nossos netos. Só assim acender-se-á a luz ao final do túnel!

VEM PRA RUA NO PRÓXIMO DOMINGO 17 ABRIL 2016, ESQUINA DA PAULISTA COM PAMPLONA. #FORADILMA #FORALULA #FORAPT

é isso, por fernando stickel [ 8:46 ]

wiki
A minha equipe fez um trabalho incrível de destrinchar as instruções e encontrar o caminho correto para criar na WIKIPEDIA a página da Fundação Stickel.
Se alguém que me lê já tentou, sabe do que estou falando, cada letra digitada tem que estar em acordo com dezenas de menus e sub-menus…
Só alguém com extrema objetividade e paciência para chegar lá, desnecessário dizer que ajuda muito se for jovem, caso da Ana Luisa e do Marcio… Parabéns para os dois!
Registrar, documentar e manter viva a história de um indivíduo, família ou instituição não é tarefa simples, eu luto há muitos e muitos anos para encontrar informações do período pioneiro da Fundação, 1946-1976. Não encontrei até hoje, infelizmente, uma única foto deste período, o pouco que encontrei foi em arquivos da própria Fundação e da família.
Continuo procurando!
Quem puder ajude, envie o que descobriu para Fernando Diederichsen Stickel, e-mail fernando@fundacaostickel.org.br

é isso, por fernando stickel [ 8:48 ]

9 gife
Participei, representando a Fundação Stickel, do 9º Congresso GIFE – “O sentido público do investimento social privado”, de 30/3 a 1/4/2016 na FECOMERCIO, São Paulo.

A conferência de abertura com o tema “O Brasil que temos e o Brasil que queremos: visões a partir da política, justiça e sociedade sobre a conjuntura atual” marcou o desenvolvimento dos trabalhos.

Foi lançado durante o congresso o Painel Gife de Transparência, do qual a Fundação Stickel faz parte, veja aqui.

cert gife

é isso, por fernando stickel [ 16:17 ]

nyt
Capa do jornal The New York Times de hoje, 4 Abril 2016 . A manchete: “How web of corruption ensnared Brazil”
A tradução da manchete: Como uma teia de corrupção enredou o Brasil.
Não é por boas razões que dona Dilma aparece em destaque.
A manchete secundária: “Senator’s Tales of bribery, back-room deals and desperate cover-ups”
A tradução: Relatos de senador (Delcídio Amaral) sobre suborno, acordos de bastidores e encobrimentos desesperados.
A cada dia que passa, a vergonha de ser brasileiro aumenta. Tenho feito a minha parte como cidadão decente, continuo pagando meus impostos, mesmo sabendo do péssimo uso deles, continuo me manifestando a favor do impeachment legal da presidente, continuo desejando ardentemente que seja possível eliminar o PT da vida pública do país, etc… etc…
Mas tá difícil…

é isso, por fernando stickel [ 12:02 ]

braselino garciapq
Braselino Garcia e seu cão Rex.
Consta, segundo meu primo Renato, que este cidadão é um ‘tio’ de minha mãe Martha, e que teria entregue pessoalmente à sua mãe Joaninha esta foto.
Mais do que tudo, achei interessante o Rex… não está muito confortável na foto!

é isso, por fernando stickel [ 18:30 ]